terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Fisgados

Conto inspirado pelo mito brasileiro Peixe dos olhos de fogo.

https://www.nempeixe.com.br

Eu e meu povo vivíamos em um lugar tranquilo e extremamente bonito. Nossas famílias eram alegres e felizes, tínhamos um grande espaço para vivermos e nos escondermos de possíveis predadores, era o paraíso. Isso até chegar criaturas que utilizam magia para nos atrair. Éramos fisgados pelo mal, perfurados nos lábios por armas que nunca antes tínhamos visto. Não havia uma boa alma que conseguia escapar do mal, adultos, velhos, crianças... todos mortos. O paraíso tinha virado um inferno, ninguém mais tinha esperança de uma vida melhor.

Até que chegou um forasteiro. Ele era parecido conosco, mas era maior e seus olhos pegavam fogo. Ele disse que se fizéssemos dele nosso líder, proteger-nos-ia de todo o mal. Assim fizemos e assim ele o fez. Nosso agora líder afugentava aquelas criaturas malignas e até comia algumas delas. Não era algo muito agradável de se ver, mas pelo menos tivemos nossa paz de volta. Infelizmente, por pouco tempo.

Nosso líder era reservado e preferia morar em uma caverna, longe de todos. Estranhamos, mas fazer o quê? Não era um preço alto a pagar pela paz. Mesmo assim, algumas de nossas crianças, com a curiosidade que lhes é natural, vez ou outra passava pela caverna, a espiar nosso líder. Sem problema, elas iam e voltavam de lá. Até que um dia, uma delas correu apavorada para onde eu e mais uns amigos estávamos reunidos.

- O que houve, pequena? perguntei.

- O nosso líder... Ele, ele...

E desabou em lágrimas.

Logo conseguimos acalmá-la um pouco e a infante contou sobre o regresso de nossa sentença e morte: o poder do líder havia se extinguido. Uma das criaturas foi à caverna e a criança estava lá e tudo ouvira. Ouvira a criatura tentar persuadir o líder a deixar as criaturas em paz e ainda disse morreriam de fome se não pudessem mais assassinar o meu povo. Foi aí que descobrimos que as criaturas eram verdadeiros monstros psicopatas, não bastavam nos matar asfixiados, também tinham o sadismo de nos devorar!

Justamente indignado, nosso líder gritou para a criatura: "Que morram todos!", mas ela não se intimidou. Travou uma luta com ele e fez com que o fogo de seus olhos se extinguisse! Derrotado, ele lamentou que precisaria de cem anos para voltar a ser nosso forte protetor. E foi aí que percebemos que não havia mais esperança...

Leitura Recomendada
Os peixes sentem dor?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.